Polêmica marca eleição da mesa diretora da Câmara Niquelândia


ATUAL PRESIDENTE VENCE DISPUTA AO CONQUISTAR VOTO DECISIVO

Leonardo Ferreira Rocha (Léo Ferreira) continuará na presidência da Câmara Municipal de Niquelândia por mais dois anos. O atual presidente da mesa diretora foi reeleito pelo placar de sete votos a seis para o biênio 2019/2020, ao conquistar um voto decisivo na disputa.

Erivaldo Mendanha da Silva (Piqui) acabou surpreendendo ao votar pela reeleição do atual presidente, Léo Ferreira e negar seu apoio a chapa encabeçada por Jonas Batista Barbosa, que reunia um grupo de vereadores da base aliada do prefeito, Fernando Carneiro.

A eleição foi rápida, durou cerca de meia hora, mas polêmica. Alguns vereadores não concordavam com a permanência de Léo Ferreira na presidência por tantos anos consecutivos. Somando com a gestão anterior e com o novo mandato para o qual foi eleito, serão oito anos à frente da presidência do legislativo de Niquelândia.

Reeleição garantida por lei

Léo Ferreira se defendeu dos opositores afirmando que a lei assegura a ele o direito de permanecer do cargo, por meio da reeleição. Ele concluiu dizendo que foi uma eleição pesada e que o apoio dos colegas foi fundamental. “O voto do vereador Piqui foi movido pela razão. É um voto que vou valorizar para o resto de minha vida. Quero agradecer imensamente meus pares Visconde, Meio Quilo, Eurípedes, Nei Rosa, Jesus e o vereador Piqui, por nos ajudar novamente.  Também quero agradecer aos vereadores que não votaram em mim, mas que respeitaram a eleição, não colocando obstáculos para que fosse realizada de forma democrática”, finalizou.

O vereador Jonas Batista Barbosa comentou a derrota e disse que mesmo não tendo sido eleito, saiu fortalecido da disputa. “Só tenho a agradecer, concorrer com um candidato que já tem três mandatos como presidente da Câmara, que é o atual presidente e obter seis votos foi uma vitória”, comemorou.

Sobre a decisão do vereador Piqui de votar pela reeleição do atual presidente Léo Ferreira, Jonas Barbosa tem uma explicação. “Nunca tive esta ambição de ser o presidente. Formamos um grupo de cinco vereadores e combinamos que quem fosse o candidato a presidente teria o apoio dos demais. Mas, quando as vereadoras Íris e Edna declararam seus votos a minha candidatura, o vereador Piqui não ficou satisfeito”, afirmou.

O vereador Piqui deixou o plenário, sem comentar com os jornalistas a decisão de votar em Léo Ferreira.

Nova mesa diretora

Os integrantes da nova mesa diretora da Câmara Municipal de Niquelândia tomarão posse no próximo dia primeiro de janeiro. Além de Léo Ferreira na presidência, também integram a mesa diretora, Visconde Vieira de Castro, vice-presidente; Jesus Ferreira França, primeiro secretário; Adélio Antônio de Brito, segundo secretário; Erivaldo Mendanha da Silva, primeiro suplente e Valnei Rodrigues Rosa, segundo suplente.

Com informações de Gilmar Alves