Turistas reclamam de preços “salgados” na Praia da Tartaruga

QUEM FOI CURTIR A TEMPORADA NO MUNICÍPIO DE PEIXE (TO) PAGOU CARO POR SERVIÇOS COMO TRAVESSIA, ESTACIONAMENTO E ALUGUEL DE ÁREA DE CAMPING. PRESTADORES DE SERVIÇOS TAMBÉM FICARAM INSATISFEITOS E CHEGARAM A PROTESTAR IMPEDINDO A RETIRADA DE ESTRUTURAS DO EVENTO

Muita gente que foi curtir as férias de julho na Praia da Tartaruga, município de Peixe (TO) ficou insatisfeita com as altas taxas cobradas em um local onde o turismo deveria ser gratuito. Logo na chegada da praia, o turista teve que desembolsar R$ 20 por dia de estacionamento do veículo, depois, pagar mais R$ 20 por pessoa para atravessar o rio de canoa. Além de ter um alto custo, a travessia também não ofereceu segurança aos turistas, que foram transportados sem coletes salva-vidas.
Na praia, quem preferiu ter o mínimo de conforto teve que gastar ainda mais, a diária de cada barraca montada nas áreas de camping ofertadas custou R$ 50 em média.

Prefeitura alega falta de recursos para promover evento

A temporada de férias na Praia a Tartaruga foi terceirizada pela Prefeitura de Peixe por meio de licitação vencida pela única empresa que entrou na concorrência, o Instituto Prosperar (Ipros), que trabalhou em parceria com os empresários Reuder Moreira e Jales Show.
Segundo a secretária municipal de Cultura e Turismo de Peixe, Graziela Graciotto, a administração do Município terceirizou a temporada de férias porque não recebeu os recursos dos governos estadual e federal, que deveriam ter sido repassados à prefeitura no último dia seis de junho. De acordo com ela, sem recursos para custear as despesas, a saída foi terceirizar o evento.
O empresário de Uruaçu (Go), Reuder Moreira explicou que empresa dele foi responsável pela realização dos shows pagos no Camarote Simiu Uai, além da gestão de portarias e travessia. De acordo com o empresário, os valores cobrados por serviços como estacionamento e travessia foram os mesmos praticados na temporada de férias do ano passado. Para Reuder Moreira, os preços praticados não foram abusivos.

Protesto de donos de barcos bloqueia estrada

Na última segunda-feira (29), donos de barcos que trabalharam na travessia dos turistas decidiram bloquear a saída da praia para impedir a retirada de estruturas do camarote Simiu Uai. O protesto durou pouco mais de três horas e teria sido motivado por falta de pagamento.
O empresário Reuder Moreira negou atraso de pagamento aos donos de barcos e disse que houve apenas um impasse referente a cobrança de taxas de cartões de créditos, que logo foi solucionado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s